Logotipo memória
Item de menu Linha do tempo
Item de menu Processos Históricos
Item de menu História Oral /></a></div><div class=Item de menu Galerias
Item de menu 25 Anos de Inovação
Gilson Dipp
Desembargador Federal Gilson Dipp

Gilson Langaro Dipp nasceu em Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, no dia 1º de outubro de 1944. Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, foi diplomado pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em 1968. No mesmo ano começou a exercer a advocacia, sobretudo nos ramos do Direito Cível, do Trabalho, Comercial, Administrativo e Penal. Também ministrou aulas de Direito Civil na Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Após vinte anos de militância na advocacia, mediante o decreto presidencial de 22/3/1989, publicado no DOU de 27/3/1989, Gilson Dipp foi nomeado para o cargo de juiz do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Integrando a composição original da Corte foi empossado na mesma data em que foi inaugurada a nova Casa de Justiça, 30 de março de 1989. Em abril assumiu a presidência da 3ª Turma, e em junho tornou-se membro efetivo do Conselho de Administração do TRF4. Ainda no mesmo ano presidiu a Comissão de Regimento Interno do Tribunal, integrou a comissão destinada a elaborar o edital do primeiro concurso público para provimento de cargos de Juiz Federal Substituto da 4ª Região e presidiu a comissão para coordenar sugestões dos magistrados ao anteprojeto da Lei Orgânica da Justiça Federal de 1º e 2º Graus, além de acompanhar a tramitação da referida Lei no Congresso Nacional.

Passou a integrar o Conselho da Justiça Federal a partir de 21 de junho de 1993, quando foi assumiu a presidência do TRF da 4ª Região, cargo que exerceu até 21 de junho de 1995. No biênio seguinte, Gilson Dipp representou a Justiça Federal junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio Grande do Sul, em vaga reservada a membro do TRF4.

Nomeado para o preenchimento de vaga decorrente da aposentadoria do ministro Américo Luz, integrou o Superior Tribunal de Justiça (STJ) a partir de 29 de junho de 1998. De 2007-2009 desenvolveu as atividades como Coordenador-Geral da Justiça Federal junto ao CJF. Foi provado, por unanimidade, pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal, para o cargo de corregedor do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), biênio 2008-2010. Presidiu a Comissão da Reforma do Código Penal. Foi o primeiro coordenador da Comissão Nacional da Verdade (CNV), entre maio e setembro de 2012, quando precisou se afastar por motivos de saúde. Em agosto de 2012 assumiu a vice-presidência do STJ. 

Aposentou-se no cargo de ministro do Superior Tribunal de Justiça em 25 de setembro de 2014.